[Artigo] Reprint! It’s time to Reprint!

Apoie a Blacker Lotus, não use Ad Block e acesse os anúncios que lhe interessar!
capa reprint

Boas malta, no artigo de hoje venho abordar um aspecto que acaba sempre por aparecer em épocas de Spoiler…

Os Reprints.

Antes de mais nada, vamos explicar o que é um reprint…

Reprint ou reimpresão de cartas é quando uma carta já existente volta a ser lançada em outra edição, seja “normal” ou promocional.

E o que leva a existência destes reprints?

Um dos fatores que leva um jogador a desejar um reprint passa pelo gosto por determinada carta, pode até nem ser uma carta overpower, mas se gostamos daquela carta por motivo X ou Y, vamos sempre querer que ela volte uma, duas, três vezes; quanto mais melhor. Eu por exemplo, gostaria muito de ver voltar uma vez mais o Bogardan Hellkite, apenas e só pelo gosto que tenho pelo deck “Dragonstorm“.

Outro fator que leva a desejar o reprint de cartas, é aumentar a oferta dessa carta e assim, esperar que esta baixe de preço. Exatamente o que aconteceu com Thoughtseize, que com sua saída em Theros, já fez com que seu preço caísse, passando de uma media de 35€ para 20€ (Europa). No entanto isto nem sempre ocorre, por exemplo, Dark Confidant e Tarmogoyf que foram re-impressos em Modern Masters, apesar de um pequeno aumento da oferta, não viram o seu preço descer, pelo contrário, o preço aumentou.

Isto deve-se a um fator muito curioso, com o lançamento de Modern Masters e o regresso das Shocklands em Return To Ravnica/Gatecrash, muitos jogadores viram a sua oportunidade de entrar no formato Modern, aumentando muito o número de jogadores do formato e consequentemente a procura das staples.

E se Modern Masters consegui-o descer o preço de várias cartas importantes do formato, no caso de Tarmogoyf e Dark Confidant a procura aumentou tanto, que levou a um aumento nos preços destas cartas.

reprint dark confidant

Dark Confidant – Ilustração: Scott M. Fischer.

Quando o tema é “reprints”, não conseguimos de forma alguma fugir de um termo que atormenta principalmente os jogadores mais antigos, nomeadamente os que jogam Legacy/Vitange… A Reserved List!

Reserved List

A Reserved List foi um acordo feito entre a Wizards e colecionadores em 1996, para que determinadas cartas nunca fossem reimpressas em Black ou White border  tornament legal. Ou seja, são cartas que nunca vão ser reimpressas de forma a serem legais em torneios, exclui-se portanto, cartas oversize ou de borda dourada.

  • A lista tinha algumas regras:
  • Reprints funcionais (mais a frente vou explicar o que isto significa) não são permitidos para cartas na lista;
  • Nenhuma carta a partir de Máscaras de Mercádia será adicionada à Reserved List;
  • Em compensação, nenhuma carta será removida da lista;
  • Essa lista se aplica a cartas produzidas em qualquer idioma;
  • Essa lista só é válida para cartas físicas. Ela não se aplica para cartas digitais, como no caso do Magic Online;
  • Eles ainda podem relançar essas cartas de maneira que não influencie no jogo em si, como em versões oversized (maiores) dos mesmos.

Em 2011, com o From the Vault Relics, a Wizards lançou algumas cartas contidas nessa lista, o que originou alguns conflitos com os colecionadores. Então foi acrescentado as regras que nenhuma carta pode ser reimpressa, mesmo que em formato promocional.

Outro aspecto que pode complicar a existência de determinados reprints são as habilidades especificas de blocos e o Flavor destes. Por exemplo, cartas com Flashback, Kicker, Metalcraft, Infect, entre outras, só podem ter o seu reprint se esta habilidade fizer parte de um novo bloco e isso já vai envolver o flavour. Por exemplo, não faria o mínimo sentido termos metalcraft de volta em Theros. Uma forma que acharam de contornar isso foi a decisão de trazer em todos os Core Set uma habilidade do passado, como Scry em M11, Bloodthrist em M12 e Exalted em M13.

Ainda sobre o Flavor, temos o problema nas cartas que se referem a locais / personagens / fatos da historia.

Por exemplo o regresso de Scry em Theros torna possível a reimpressão de Magma Jet, mas não de Tel-Jilad Justice, pois isso é uma carta que pelo nome, está ligada ao bloco de Mirrodin / Scars of Mirrodin.

Uma forma de contornar este problema são os reprints funcionais.

Reprints Funcionais

Simplificando, reprint funcional é a reimpresão de uma carta com um novo nome, podendo por vezes alterar tipos de criatura, como é o caso de Terramorphic Expanse e Evolving Wilds. Desta forma, ajuda a resolver o problema de flavor, mas pode em determinadas cartas, comprometer formatos que envolvam edições mais antigas.

reprint funcional

Uma carta “fraca” não vai influenciar o metagame, mas e se eles lançassem um reprint funcional de cartas importantes, como Lightning Helix, Remand, Path to Exile, ou Lightning Bolt? Existem N decks que jogam facilmente com 4 copias destas cartas e não iriam ter grandes problemas em jogar com 8 cópias. Existem ainda, as cartas que são muito parecidas, alterando custos de mana ou pequenos pormenores no texto, como por exemplo Fact or Fiction e o novo spoiler de Theros, Steam Augury.

Se tem interesse em saber quais cartas tiveram um reprint funcional, podes ver todos os eles aqui.

O poder da Especulação e do Reprint

Para finalizar este artigo e para deixar o leitor com uma ideia da forma que a especulação e o reprint podem afetar um mercado, quando Thoughtseize não saiu em Modern Masters, começou a especulação de que sairia em M14 e isso levou a uma queda no preço da carta no MTGO (o primeiro local onde se vê as alterações de preço) desceu quase 50%. E isto apenas com rumores nunca antes confirmados, quando se viu que esta não foi lançada, voltou a subir seu preço.

MaRo lançou no Twitter uma dica de que em Theros, sairia uma carta que devia ter saído em Modern Masters, o que mais uma vez fez seu preço cair um pouco. Depois foi lançado o spoiler de Magma Jet e a carta voltou a aumentar.

E é isto malta, reprints sempre existiram e sempre existirão e isso faz com certas cartas não deixem de estar presentes e disponíveis nos mercados. A Wizards dá evidencias de não querer que o Modern se torne como o Legacy, onde a procura supera em muita a oferta. Pelo que pudemos prever, mais cedo ou mais tarde as cartas Staples de Modern vão voltar a ver a luz do dia, seja em edições “normais”, como Thoughtseize em Theros, seja nos Core Set, como Mutavault em M14, em material promocional, como Figure of Destiny em Duel Decks: Heros VS Monsters ou mesmo em edições 100% reprint, como foi o caso de Modern Masters e quem sabe, Modern Masters II.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Bob e Tarmogoyf cairam um pouco o preço, é possível pegar bob por 120 e tarmogoyf por 450 reais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *