[Artigo] BLINK THEM ALL! A história do efeito Blink

Apoie a Blacker Lotus, não use Ad Block e acesse os anúncios que lhe interessar!
capa blink

Olá leitores, quem aí já ouviu falar sobre o Blink? Um efeito que ficou muito famoso com o  nascimento do bloco de Espiral Temporal.

BLINK THEM ALL!

O efeito Blink ficou conhecido pela sua sinergia com cartas ETB (Enter the Battlefield), do inglês, entrar no campo de batalha. O blink funciona, removendo uma permanente (muitas vezes em criaturas) de jogo e logo em seguida, esta volta em jogo. 
Mas qual o sentido disso?

Blinkando uma criatura, você pode salvá-la da morte ou ainda, ativar alguma habilidade ETB da própria criatura blinkada ou de alguma outra em campo.

Pode parecer confuso, mas vamos aos exemplos ilustrados… Primeiro, irei lhes apresentar a carta que apelidou o “efeito” Blink:

momentary blink

Uma das primogênitas no quesito blink, esta ainda possuía Flashback. Perceberam o efeito da carta? Isto que é um Blink, neste caso, um blink de criaturas. Mas no bloco de Espiral Temporal, tivemos outras cartas com Blink de certa forma “genérico” (leia-se bounce) bem marcantes na história do Magic, lembram de Dream Stalker e Whitemane Lion?

Ok, mas qual a necessidade disso? Já falei caro leitor, além de salvar criaturas de alvos, auras, etc, ela ativa suas permanentes ETB, confiram as opções de criaturas que tínhamos em Espiral Temporal:

blink espiral temporal

Perceberam o estrago que o Blink pode causar? Ele pode reciclar as habilidades ETB de suas criaturas, no caso do Venser, Shaper Savant e Riftwing Cloudskate, você recicla seus bounces e com Aven Riftwatcher, você ganha toneladas de pontos de vida. Interessante esta sinergia não? E foi com o bloco de Espiral Temporal que a habilidade de Blink ascendeu e entrou em alta, conseguindo um grande destaque e repercutindo até hoje nos mais variados formatos.

E com o tempo, novas cartas com blink foram surgindo e se casando com outras cartas com efeitos ETB, sempre criando um casamento perfeito. Muitas delas marcaram alguns formatos competitivos e outras nem tanto, mas enfim, vejamos algumas destas uniões…
blink mangara
blink finks

E o tempo passou e passou e voltamos para o ano de 2012 e 2013, quais foram as cartas que brilharam no Standard? Qual foi o efeito que marcou a temporada? Alguém? Alguém?

Lógico que foi o Blink, marcando presença fortemente no bloco de Innistrad desta vez. Cartas como Thragtusk e Huntmaster of the Fells, ultrapassaram o valor de 50R$ e ficaram bastante escassos no mercado, mas não somente por terem incríveis habilidades, mas pela máquina que eles se tornavam com o efeito Blink. O bloco de Innistrad nos presenteou com lindos Blinks que jamais esqueceremos, foi quase como retornar para Espiral Temporal, porém com criaturas ETB muito mais poderosas.

Confiram aqui um pouco das máquinas que vieram com Innistrad:

  • Cloudshift
  • Huntmaster of the Fells
  • Restoration Angel
  • Thragtusk
  • Ghostly Flicker
  • Augur of Bolas
  • Deadeye Navigator
  • Snapcaster Mage
As opções proporcionadas pelo bloco de Innistrad foram tantas, que não conseguiria listar todas neste artigo (mentira, coube tudo). Mas perceberam o leque de opções que tínhamos temos? Com certeza, sentiremos saudades destas possibilidades de Blink, parece que com a rotação deste bloco, ficaremos órfãos de nosso tão querido Blink.
Mas calma, parece que com Theros ainda teremos 1 (UMA) opção! Então, você leitor deve estar comentando:
Este redator deve estar louco, não tem nenhum Blink em Theros. Como assim?
Calma leitor, vou explicar…
Realmente, Blink mesmo, não teremos, mas estava conferindo os spoilers de Theros e consegui ver um futuro promissor em um “pseudo Blink”:
blink rescue

Perceberam a magia por trás de Resgatar do Submundo? Ela, além de nos fornecer um Blink com um certo delay, nós dá a possibilidade de um reanimate. Tudo isso com flash! Assim como nosso Restoration Angel.

Mas não pensem que por ter surgido o nome Blink em Espiral Temporal, nunca existiram cartas com efeito Blink no passado. Muito pelo contrário, temos alguns exemplos “raiz” de Blink para vocês…

Flicker em Saga de Urza, foi uma das primeiras cartas que nos trouxe a possibilidade de uma piscadela em nossas permanentes, mas infelizmente, esta era uma carta de feitiço. Um dos blinks mais antigos da história, já havia nascido antes mesmo do nome Blink. Estamos com certeza falando de um prodígio no mundo das cartas com efeito Blink.

Tivemos ainda em investida, Astral Slide, uma carta que brilhou nas top lists da época. Era possível blinkarmos nossas criaturas reciclando nossas cartas. E não podemos esquecer que o deck campeão mundial de 2004, foi baseado na cartas Astral Slide, juntamente com Viridian ShamanEternal Witness com habilidades ETB e cartas como Eternal DragonRenewed FaithDecree of Justice para ativar nosso Astral Slide. O deck brilhou muito na época e foi praticamente a primeira grande ascensão do Blink na história do Magic.

Com certeza, contamos com uma boa quantidade de cartas com efeito Blink em nosso meio, pode ser que alguma delas tenha passado desapercebida pelo nosso artigo, mas compartilharei ainda com vocês, caros leitores, alguns outros cards com efeito Blink. Blinkadores de terrenos, planinautas que Blinkam permanentes, criaturas que Blinkam ao atacar, enfim temos várias cartas interessantes com efeito Blink para serem exploradas…

blink extra 01

blink extra 02

Recentemente passou pelo Standard uma carta com efeito Blink muito forte: Obzedat, Ghost Council.

Isso mesmo leitores, temos um sobrevivente! Ou vários, afinal, temos um conselho composto de cinco espíritos nesta carta, não? E o melhor de tudo, ele é uma carta com efeito ETB e que gera seu próprio Blink. Obzedat, Ghost Council é praticamente uma evolução do Blink, afinal, trocamos duas cartas por uma e aumentamos as chances de dar certo nosso Blink. Seria esta uma nova temática indicando uma evolução no Blink? Um provável Self blink? Quem sabe a ideia não “cola” e poderemos ver mais cartas assim no futuro? Enfim, só nos resta esperar.

Mas não desanimem, desde o bloco de Espiral Temporal, foram mais ou menos quatro anos para termos esta abundância de Blinks com qualidade novamente. Então, o que custa esperarmos mais uns quatro anos por Blinks ainda mais surpreendentes? Espero que tenham aproveitado este breve conto sobre o efeito Blink, seus primórdios, auge, como ele está presente nos dias de hoje e uma possível baixa deste efeito pós-rotação.

Henrique Amaral

Idealizador e criador da Balcker Lotus, fissurado em games desde criança quando ganhou seu primeiro vídeo game, um Master System!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *