[Artigo] 10 dicas para adentrar no Magic profissional

Apoie a Blacker Lotus, não use Ad Block e acesse os anúncios que lhe interessar!

capa-01

Muitos jogadores se perguntam:

O que é preciso para começar a jogar Magic de forma profissional?

Então, hoje pretendo trazer algumas dicas, não para que você já comece a vencer PTQs, GPs e PTs, mas para que você comece a desenvolver um plano de jogo para estar conseguindo jogar de forma consistente e bem preparada para estes torneios citados.

Vamos então subdividir em alguns pontos-chaves…

 

1. Formato

Ponder - Ilustração: Dan Scott

A maioria dos jogadores costumam selecionar os formatos que mais gosta de jogar, algo comum entre os jogadores. Uns preferem Pauper, outros Modern e alguns Standard; Mas para adentrar ao competitivo, você deverá ter algo em mente… Você deve estar pronto para jogar qualquer formato!

Isso mesmo, geralmente as temporadas ditam formatos distintos, como é o caso dos GPs, como em 2014 no Brasil, que foi selado de Theros. Por mais que a maioria dos torneios competitivos sejam no formato Standard, esteja preparado ao menos para outros formatos competitivos. Ok, mas quais os formatos competitivos?

Os formatos competitivos são aqueles que vão lhe dar acesso aos melhore$ e maiore$ torneios. Afinal, o que queremos é ganhar premiações e vagas para torneios ainda maiores. Então, os principais formatos para estarmos em contato são:

  1. Standard
  2. Modern
  3. Selado
  4. Draft
  5. Legacy

Pode parecer estranho, mas em países gringos, temos Opens (como da SCG por exemplo) rolando no formato legacy e com altas premiações, por isso é um formato para estar em contato sim. O formato precisa de grande investimento, mas isso descomplicaremos mais abaixo. No Brasil, temos agora o circuito do Nacional Legacy, e sempre acaba rolando alguns Opens durante a temporada por ai em alguma loja com até 5k de premiação. Então é obvio que vale a pena estudarmos e treinarmos neste formato.

Além deste destaque, temos o Standard, que é um formato obrigatório para se jogar de forma competitiva (vide Pro Tour). O Modern (o novo xodó da Wizards), que vem cada vez mais impactando no cenário competitivo, seja em Opens, Grand Prix e outros circuitos privados que aparecem pelo Brasil, como o circuito Ligamagic. Selado e Draft costumam aparecer em torneios competitivos, seja em GPs (como foi o caso do GP de 2014 no Brasil), ou aparecem em top 8 de torneios e finais de circuitos. Alguns torneios costumam seguir o formato construído nas primeiras rodadas e depois do corte do top 8, os 8 finalistas disputam um draft para definir o campeão. Isso é cada vez mais comum em torneios privados que acontecem mundo afora.

2. Investimento

Land Tax

[mtg_card]Land Tax[/mtg_card]

Pode parecer a parte mais complexa para se adentrar ao competitivo, ou ainda, a maior barreira para os jogadores. Mas acredite, podemos descomplicar bastante aqui. Existem algumas formas de conseguir as cartas que você precisa:

 

2.1. Tenha um círculo social forte para empréstimo de cartas:

Levar seus amigos para o cenário competitivo com você pode ser ainda melhor do que parece. Vocês podem dividir os gastos e estar modificando seus decks com um pool bem maior do que seria a de apenas 1 jogador. Vocês conseguem mais cartas para troca e sempre melhores opções para se adaptar ao metagame. Ou seja, compensa muito você entrar em um ou criar um time para estar disputando no cenário competitivo.

2.2. Seja parceiro de seu lojista:

Comece a conversar com seu lojista, seja amigo dele. Comece a disputar torneios em outras cidades, mostre para ele que você pode levar a marca dele para ser exibida em outras cidades e para vários jogadores (consumidores). Ele só tem a ganhar com você, mesmo que no começo você não conquiste grandes torneios, você levará a marca dele para grandes aglomerações de jogadores. Veja o que ele prefere, que você utilize uma camiseta, um playmat, shield, etc… Qualquer acessório que divulgue sua marca. E é lógico que você não vai fazer esse merchan de graça, veja como ele pode lhe ajudar, seja com empréstimo de cartas ou com ajuda de custo para viagens (afinal, isso acaba sendo um grande gasto no Brasil).

Seja com ajuda de amigos ou de uma loja, você verá que assim fica muito mais fácil estar mudando de deck ou adaptando estes para as mudanças do metagame. Mesmo com estas ajudas, você deve estar preparado para colocar a mão no bolso, os torneios custam em média R$50 – R$100 e as viagens também não são baratas. Mesmo com ajuda, temos estes gastos, que não são poucos.

Recentemente em um artigo, falei da alta nos preços do Standard (isso, em muitos casos reflete em nossa economia, não só o Magic ficou caro, tudo está mais caro), então se prepare para gastar mais de 2k em um deck Standard, mais de 4k em um Modern e mais de 6k em um Legacy. Isso é normal, vai acontecer para você conseguir disputar no cenário competitivo. A não ser que você tenha bastante dinheiro para investir, faça boas parcerias, seja com jogadores ou com lojas.

3. Tenha um time

Gather the Townsfolk - Ilustração: Dan Scott.

Um time não serve apenas para vocês trocarem / emprestarem cartas para os torneios. Um time serve para desenvolvimento de deck lists e para o treinamento destas. Vocês vão poder criar as listas e ir treinando até elas ficarem da melhor forma possível. É de suma importância ter ao menos um deck builder no time, ou seja, um jogador com bastante experiência em desenvolver deck lists baseadas no field. Este será o jogador que ajudará todos no desenvolvimento das listas, seja ajudando na curva de mana, ou encaixando aquela carta inusitada para criar um combo forte ou um hate contra algo natural do field.

4. Conheça o field, estude, crie uma estratégia

Expedition Map - Ilustração: Franz Vohwinkel

Parece simples, mas não é. Aqui, mais do que nunca, você vai precisar da ajuda de um deck builder (pelo menos no começo de sua carreira). Você deve conhecer o metagame do formato que vai jogar e com certeza já deve ter treinado para ele. Você deve entender as fraquezas do seu deck e saber qual o momente de pegar aquela carta que tem cara de sideboard e colocar ela logo no main deck. Ou ainda como desenvolver o melhor sideboard possível para que seu deck jogue de forma saudável. Como disse acima, as vezes é importante saber inovar e/ou adaptar seu deck para enfrentar o field que tenha alguma fator desfavorável para seu deck.

Vou citar aqui 2 exemplos (um de inovação e outro de adaptação de field) do Eduardo Vieira pilotando seu Brazilian Whip no GP Santiago 2014:

4.1. Soul of Theros

A adição de Soul of Theros no deck criou um combo incrível com a carta Hornet Queen, e isso foi muito inusitado, algo ainda pouco explorado e que pegou muitos jogadores de surpresa. Muitos jogadores nem lembravam que a Soul of Theros podia ser exilada do cemitério para bombar as abelhas e acabavam descobrindo isso na hora da morte. Por tanto, preste atenção em cada carta que seu oponente utiliza, principalmente as que fogem do comum.

4.2. Doomwake Giant

O segundo exemplo, foi a adição da carta Doomwake Giant. Assisti uma entrevista do Eduardo explicando o deck e ele falou que se preparou para segurar a onda de decks aggro que vinham aparecendo cada vez mais no Standard, e por isso que ele usou o Doomwake Giant, pois ele travava Mono Reds e Mono Blacks.

5. Não desanime, cada derrota conta.

Melancholy - Ilustração: Lars Grant-West

Pode parecer óbvio, mas é um lembrete muito importante. É difícil vencer um torneio de Magic e as vezes acontece de termos uma “fase ruim”. A dica é não desanimar nunca. Tente jogar alguns torneios menos competitivos para dar uma descontraída e voltar ao jogo de forma sutil. Tente treinar mais ao invés de se afastar do jogo. O importante é manter a cabeça erguida e nunca desistir. Nunca pare, esteja sempre em contato com o jogo.

6. Leia, mas leia muito material sobre Magic

Library of Leng

Felizmente agora temos bastante material brasileiro sobre Magic de qualidade. Temos grandes jogadores brasileiros, como Zeh Dantas, Batutinha e Tulio Jaudy, que vêm trazendo suas experiências de jogo para nós em forma de artigos. Além disso, temos grandes sites gringos, como  Starcitygames e Channel Fireball, trazendo grandes jogadores como redatores (PV está na Channel Fireball, por exemplo).

Então, busque artigos sobre os formatos competitivos. Leia bastante sobre selados e drafts (que costumam ser formatos difíceis de jogar), LSV (Luis Scott-Vargas) é uma ótima dica de autor para os limiteds da vida, sendo um dos melhores autores para estudar os formatos limiteds. Aproveite os sites brasileiros, mas jamais deixe de se inspirar por fora do país, a leitura não é obrigatória, mas vai abrir muito sua mente para o jogo.

 

7. Treine no Magic Online

05-01Sério, o MOL trás uma praticidade imensa para poder treinar e ainda faturar um grana para ajudar nos seus custos da vida real. Com um média de 300 tix (dinheiro do MOL, que vale 1 dólar cada) você monta um deck tier 1 competitivo do Standard no MOL. Ou seja, com menos de 1k, você tem o mesmo deck de 2k que você pilota na vida real e pode treina-lo em torneios de nível competitivo.

Jogando Dailys, você consegue um ótimo nível de oponentes para testar seus decks e ainda consegue faturar uma grana se fizer 4-0 ou 3-1 no torneio. O torneio consiste em 4 rodadas e ao fazer 3-1, você recebe 6 boosters e fazendo 4-0, 11 boosters. Sabendo que o booster costumam ser vendido para bots (como se fossem as lojas na vida real) na média de 3 tix, fazendo 3-1, recebemos 18 tix e fazendo 4-0, recebemos 33 tix.

Com o dólar valendo R$2.5, temos uma boa oportunidade de juntar uma grana para pagar nossas viagens e investimentos da vida real. Isso munido de um ótimo treino sem ter que sair de casa, é a maior ferramente que um jogador profissional pode ter. Sem falar que temos ainda torneios selados e drafts com boas premiações também, podemos treinar praticamente em qualquer formato no MOL.

8. Regras

Restore Balance - Ilustração: Mark Poole

Pode parecer até bobagem reforçar isso, mas acredite, as regras do Magic não tem fim. Quanto mais você aprende, mais aparecem coisas novas. Uma dica que dou é acompanhar blogs que tratam temas de regras, seja o gringo Magic Rules Tips ou até mesmo aqui na Blacker Lotus, onde temos algumas seções sobre regras.

Então, estude sempre e nunca pare, entenda a pilha, as fases e etapas, saiba os melhores momentos para conjurar suas mágicas, entenda sobre camadas (layers), enfim, estude muito e evolua cada vez mais para poder tomar cada vez melhores decisões no jogo baseado nas regras. Conhecendo melhor as regras, você terá maior confiança em tomar decisões durante seus jogos. Ande sempre com o livro de regras e sempre tire suas dúvidas com juízes. A melhor forma de conhecer as regras, é ter contato com aqueles que estão ali para aplica-las.

9. Foco durante o jogo

Azusa, Lost but Seeking - Ilustração: Todd Lockwood

Preste atenção em cada jogada, leia e releia as cartas par ter certeza de cada decisão. Não tenha vergonha de chamar um juiz para tirar uma dúvida ou para prestar alguma reclamação de seu oponente. Sempre marque as ações do jogo, anote as cartas que você viu na mão do oponente com uma Duress (por exemplo), coloque um marcador no topo de seu deck para lembrar de remover um marcador temporal de uma carta suspensa sua antes de entrar na etapa de compra. Enfim, sempre utilize de lembretes para não esquecer de tomar alguma decisão durante o jogo. Jogue com calma, não tente correr e também não demore demais, encontre seu tempo. Se seu oponente chamar o juiz para prestar alguma reclamação, não se assuste, ouça a reclamação dele, absorva ela e pondere se ela realmente é verídica ou não. Um exemplo claro:

Eu já joguei com um Scapeshift em um PTQ e teve um oponente que estava muito preocupado com o tempo (pois ele estava 1-1 e tinha vantagem), chamou o juiz e disse que eu estava enrolando. O Scapeshift é um deck realmente mais lento, ele usa cantrips, vidência tutores de lands, enfim, fazemos muitas jogadas e devemos tomar muitas decisões precisas e isso demanda um certo tempo. O Juiz sentou e observou quase o jogo todo, continuei jogando da mesma forma e o juiz não comentou nada e acabou indo atender outra mesa antes do jogo acabar pois percebeu que estava tudo normal por ali. Você pode cometer algum erro durante a partida ou levar um deck check por algum erro no preenchimento de sua deck list, fique calmo, pois nada está perdido, mesmo levando um game loss, você pode virar 2-1 em seu oponente. O mesmo aconteceu comigo no GP SP 2014, marquei uma carta a menos no deck e levei check na terceira rodada, meu oponente começou com 1-0, mas consegui virar por 2-1. Então, mesmo sendo punido por erros e pela arbitragem, mantenha o foco, se acalme, beba um gole d’água e continue para a vitória!

10. Saiba absorver suas premiações

Consume Spirit - Ilustração: Justin Sweet

Muitos torneios, felizmente, pagam em dinheiro; Mas muitos ainda pagam em boosters as premiações. Já estamos cansados de saber que não compensa abrir boosters para conseguir gerar lucros. Você precisa abrir o booster arriscar tirar algo valioso e ainda ter a dor de cabeça de vender cada carta. Então pegue sua premiação e venda de 15-25% mais barato que as lojas para seus amigos, conhecidos ou em grupos de Magic. Assim você consegue dinheiro fixo e garantido! Um exemplo é receber 1 booster box de Khans de Tarkir, cada booster está sendo vendido por R$12 – R$13. Então, vender seus boosters por aproximadamente R$10 parece algo justo. Assim você garante um “salário” de forma rápida e sem complicações para poder continuar investindo em seu jogo e lógico, para pagar suas contas.

Bem jogadores, espero que possa ter ajudado com este pequeno guia para estar treinando e aprimorando seu jogo para poder adentrar no cenário competitivo do Magic. Evitei me aprofundar demais nos tópicos, para que os leitores pudessem captar a ideia e partir para um estudo mais profundo por conta própria. Caso tenham se interessado pelo material, podemos estar lançando mais artigos sobre a entrada no Magic competitivo, onde poderemos aprofundar cada um dos principais tópicos deste artigo futuramente. Muito obrigado por acompanhar o artigo e vamos agora começar as discussões, deixe suas dicas e comentários sobre como adentrar no Magic competitivo, seu feedback é muito importante para nós!

Henrique Amaral

Idealizador e criador da Balcker Lotus, fissurado em games desde criança quando ganhou seu primeiro vídeo game, um Master System!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *